Frota circulante brasileira!

volare_novos_mini

A estimativa da frota circulante de autoveículos no Brasil no exercício de 2014 é de 33,4% no Estado de SP, seguido de 10,9% em MG, 8% no PR e RJ e de 7,8% no RS (entre os cinco mais destacáveis). Segue ainda: SC (5,3%), GO (3,5%), BA (3,45), PE (2,5%0, DF (2,3%), CE (2%), ES (1,8%), MS e MT – ambos com 1,4% cada. Outros Estados da UF Unidade Federativa registram 8%. O Brasil está entre um dos principais mercados automotivos do mundo: em 2012 foi computada cerca de 3,72 milhões a frota circulante nacional (oitava do mundo) – o que resulta numa média de 5,3 habitantes/autoveículo. [Adamo Bazani, editor MTb 31521SP, de SP – Foto: NOP-Bus/Inbus]

Anúncios
por inbustransportonibus

Brasil: referência mundial em autoveículos [ônibus também é destaque…]

DSCN1107

Em 2013 o Brasil esteve na sétima posição como fabricante mundial de autoveículos. O País produziu 3,712 milhões de produtos (atrás de países como: China/EUA/Japão/Alemanha/Coréia do Sul e Índia) e na frente de algumas importantes nacionalidades como: Canadá/Rússia/França/Reino Unido/Itália. [Jean R Dierckx, de Bruxelas, Bélgica – Correspondente para a REVISTA INBUS TRANSPORT – ONIBUS – BRASIL – Image: Press/NOP-Bus]

por inbustransportonibus

Agrale – chassis de ônibus

onibus-agrale-bahia

A Agrale de Caxias do Sul licenciou oficialmente 4.878 unidades, divididos entre 444 caminhões, 14 comerciais leves e 4.420 chassis de ônibus. A produção contabilizou: 407 caminhões, 576 comerciais leves e a grande participação de 4.492 chassis de ônibus. [Helio L Oliveira, edtor MTb 69429SP, de SP – Foto: Agrale/Imprensa]

por inbustransportonibus

International Caminhões – chassi de ônibus.

creditoCristianSalvatierra_MAN_MX

A International Caminhões licenciou durante o ano de 2014 cerca de 1.016 unidades veiculares, separados entre 954 caminhões  e ainda 62 chassis de ônibus. [Elias Marques, editor MTb 49162SP, de SP – Foto:Divulgação]

por inbustransportonibus

Iveco Latin America – Ônibus

iveco_cityclass

Em 2014 a Iveco Latin América licenciou 13.381 unidades comerciais, divididos em: 8.790 caminhões, 3.863 comerciais leves e mais 730 chassis de ônibus. [Elias Marques, editor MTb 49162SP, de SP – Foto: Iveco/Imprensa]

por inbustransportonibus

Scania Latin America – Chassis de Onibus

Scania_Biarticiulado_Mexico_Oct_2014_1

A Scania Latin América exportou em 2014 cerca de 4.161 caminhões e mais 1.893 chassis (entre urbano/rodoviário), totalizando 6.054 unidades. Licenciou ainda: 42.628 unidades comerciais, somando 36.157 caminhões e ainda 6.471 chassis de ônibus. Em números de produção a Scania –montadora sueca aqui instalada montou 44.919 unidades (divididos em: 38.111 caminhões e mais 6.808 chassis de ônibus). [Ronaldo dos Santos, editor MTb 9529PR, de Curitiba, PR – Foto: Scania/Imprensa]

por inbustransportonibus Com a tag

Ônibus – Mercedes-Benz

MBOF1724_01

A MBB Mercedes-Benz do Brasil licenciou em 2014 cerca de: 35.556 unidades comerciais (caminhões) e ainda 13.011 chassis de ônibus e cerca de 8.315 veículos comerciais leves. Já a produção se concentrou em 18.974 caminhões e mais 3.050 chassis de ônibus entre urbano/rodoviário. [Elias Marques, editor MTb 49162SP, de SP – Foto: Nop-Bus]

Onibus da MAN Latin América

man_volksbus_17_260_eod

A MAN Latin América exportou em 2014 cerca de 7.398 veículos comerciais, se destacando entre 5.354 caminhões e ainda 2.044 chassi de ônibus. Já em números de licenciamento foram contabilizados cerca de 15.207 unidades (divididos em: 14.144 caminhões e mais 1.063 chassis). A produção no exercício de 2014 registraram: 22.024 (divididos em: caminhões com 18.974 unidades e mais 3.050 chassis de ônibus). [Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, de SP – Foto: NOP-Bus]

por inbustransportonibus

PESQUISA INBUS TRANSPORT – As tarifas de Ônibus por todo o BRASIL [EXCLUSIVO]

DSCN6325

As tarifas de ônibus do transporte público das principais capitais brasileiras (após o inicio de ano e dos aumentos concedidos pelos gestores do segmento coletivo). Os reajustes foram estabelecidos entre os meses de novembro/2014 até janeiro de 2015. A capital do Acre foi a que teve o maior aumento entre as capitais brasileiras: a tarifa subiu de R$ 2,40 para R$ 2,90 – ou seja, 20,8% e o munícipe que utiliza o bilhete eletrônico paga R$ 2,75 e os estudantes desembolsam apenas “R$ 1”. SP – as tarifas dos coletivos urbanos, dos trens e do metrô passaram de R$ 3,00 para R$ 3,50, um aumento de 17%.

DSCN6143

Em Aracaju, SE, a passagem de ônibus passou de R$ 2,35 para R$ 2,70 (reajuste de 15%). Em Cuiabá, MT, os usuários pagavam R$ 2,80 a tarifa única, mas o aumento 14,28% elevou para R$ 3,20 o preço das passagens de ônibus. Na capital cuiabana é possível pegar mais de um ônibus pagando apenas uma tarifa (no período de uma hora e meia) e os estudantes, idosos e deficientes não pagam passagem. Também a capital maranhense teve aumento na tarifa de ônibus em junho de 2014, quando a passagem subiu de R$ 2,10 para R$ 2,40, registrando um aumento percentual de 14,28 pontos em São Luís. As tarifas de ônibus da cidade do RJ e do “Bilhete Único Carioca” subiram para R$ 3,40 (era de R$ 3) – um aumento de 13,33%. As barcas – que fazem a ligação entre o RJ e Niterói passaram para R$ 5. Em Campo Grande – capital do MS, a passagem convencional passou de R$ 2,70 para R$ 3,00 (11,1%) e de R$ 3,60 para os ônibus fretados. Os estudantes, idosos e deficientes não pagam passagem e os usuários têm direito ainda a pegar mais de um ônibus no período de uma hora. Em Belém, do PA, os estudantes pagam meia passagem.

onb_mobibrasil_pe

Já os idosos e pessoas com deficiência não pagam as tarifas que subiram na capital paraense de R$ 2,20 para R$ 2,40 (9,10%). A tarifa de ônibus na capital mineira subiu de R$ 2,85 para R$ 3,10 (8,78%) nas linhas troncais do moderno sistema “Move” – linhas perimetrais, diametrais e semi-expressas, cujos estudantes de ensino médio pagam metade. O metrô de BH cobra a passagem em R$ 1,80 (a integração existe entre o ônibus e o metrô no período de uma hora e meia sem pagar uma nova passagem). Idosos e pessoas com deficiência não pagam a tarifa. Em Maceió, nas Alagoas, a tarifa do transporte público aumentou ainda em março de 2014, cujos ônibus municipais subiram de R$ 2,30 para R$ 2,50 (aumento de 8,69%). A tarifa de ônibus cobrada nos coletivos de Boa Vista, Roraima subiu para R$ 2,80 – um aumento de 7,7%. Com o “Boa Vista Card”, a tarifa fica em R$ 2,50. A passagem dos coletivos de Salvador, BA, passou de R$ 2,80 para R$ 3,00 (reajuste de 7,14%). Em João Pessoa, na PB, o preço da passagem passou para o atual valor de R$ 2,35 – antes em R$ 2,20 (tarifa que sofreu um aumento de 6,81% ainda em 2014).

scania-onibus-bh

Semelhantemente o mesmo aconteceu em julho de 2014 nas tarifas de ônibus da bela capital de Natal (no RN) – que subiram de R$ 2,20 para R$ 2,35 – um aumento de 6,81%. A Secretaria de Transportes da cidade de Goiânia, GO, aumentou a tarifa para R$ 2,80 (com direito a integração nos terminais da rede metropolitana de transporte coletivo), onde o último reajuste ocorreu em maio de 2014, quando o valor da passagem era de R$ 2,70 (3,7%). Já o “Citybus” – transporte realizado por microônibus (dotado com ar-condicionado e “Wi-Fi” a bordo e atuando em 10 linhas na cidade) está com a tarifa atualizada em R$ 3,50. Os usuários de Curitiba pagam em seus ônibus a tarifa de R$ 2,85, cujo valor foi reajustado em novembro de 2014. Segundo a URBS, empresa que opera o transporte na capital do PR, o preço da passagem era de R$ 2,70 (3,7%).

B3869

Também na cidade existe a meia passagem para estudantes de acordo com a renda familiar e a gratuidade para o idoso, pessoas com deficiência e aposentados por invalidez. O sistema tem a RIT Rede Integrada de Transporte, na qual é possível utilizar quantos ônibus for necessário com apenas uma passagem. Já nas linhas que não fazem parte desta rede, a integração tem prazo de exatas duas horas. As capitais brasileiras que não tiveram aumentos em suas tarifações urbanas se destacam como a de Fortaleza, capital do Ceará, onde a passagem custa R$ 2,20. A tarifa dos ônibus em Vitória, ES, para os coletivos convencionais é de R$ 2,40 e para os ônibus seletivos (versões mais confortáveis, com ar condicionado e 100% acessíveis) é de R$ 2,55. Já a tarifa de ônibus e lotações em Porto Alegre (no RS) permanece inalterada, custando desde abril do ano passado o valor de R$ 2,95 e R$ 4,40 respectivamente. Aos munícipes porto-alegrenses existe a integração entre o ônibus e o trem, que garante um desconto de 10% no valor final pago pelo usuário, cuja tarifa fica em R$ 4,19 por trecho utilizado. Em Recife, PE, a tarifa é de R$ 2,15 nas linhas da cidade (desde 2012). O sistema permite ainda a integração de forma que o usuário pode ir de um extremo a outro da cidade com apenas uma tarifa. Também há integração com o metrô, cuja tarifa é de R$ 1,60 (os estudantes pagam meia passagem e idosos/pessoas com deficiência não pagam).

B3296

Em Brasília (no DF), os valores das tarifas de ônibus variam de R$ 1,50 a R$ 2,00 (de acordo com o trecho utilizado) e durante os finais de semana e feriados, o valor também é de R$ 2 (já a tarifa do metrô é de R$ 3). A passagem de ônibus em Teresina, PI, custa R$ 2,10 e está sem reajuste há três anos, que espera receber um novo sistema de transportes na cidade. Idosos e pessoas com deficiência não pagam passagem, assim os estudantes pagam metade e o sistema permite pegar dois ônibus no período de uma hora usando a mesma tarifa. Em Porto Velho, Rondônia, o preço da passagem é de R$ 2,60 e em Florianópolis, SC, o valor da tarifa de ônibus é de R$ 2,75 (para quem utiliza os cartões Passe Rápido, a passagem é de R$ 2,58) e em Palmas, TO, o valor da tarifa do transporte público é de R$ 2,50. Diferente de todas as situações, em Macapá, capital no Amapá, a tarifa dos ônibus municipais diminuiu em junho de 2013, caindo de R$ 2,30 para R$ 2,10, cuja diminuição foi possível graças à redução de impostos municipais às empresas locais de transporte de passageiros.

integracao_transportes_cuiaba_2013

E em Manaus, AM, a prefeitura local não aumenta a tarifa de ônibus há quatro anos, cuja tarifa é de R$ 2,75. [Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, de SP – Fotos: INBUS/NOP-Bus/AutomotivePress]

por inbustransportonibus

SP vai ter um transporte de referência nacional, afirma secretario de transporte…

DSCN3115

Gilmar Tatto – secretário municipal paulistano de transporte afirma que as mudanças seguem os novos eixos estabelecidos pelo recém-aprovado PDSP “Plano Diretor de SP” – cujo ponto principal do projeto é de adensar a população ao longo das vias expressas de transporte público, como nos corredores de ônibus e nas estações do Metrô, reduzindo assim o tempo de deslocamento entre a operação de “casa e trabalho” do munícipe local (SP tem 1,7 mil km de linhas transpostas, que percorrem o mesmo trajeto com ônibus tradicional e articulado – o que torna um sistema não eficiente em termos operacionais). Os chamados “ônibus estruturais” circulariam apenas pelos corredores de ônibus da cidade (com os veículos articulados). É nestes eixos que os modelos menores seriam substituídos pelos ônibus maiores, mas em menor quantidade, transformando os corredores com um funcionamento semelhante à operação de um “metrô” – transportando os passageiros de forma rápida de um mesmo ponto de origem e destino. Os “ônibus coletores” seriam de tamanho “padrão”, operando dentro dos bairros e transportando os passageiros até os grandes corredores de ônibus. Os veículos “intra-bairro” seriam menores (como os conhecidos “microônibus” e as “vans”) e que circulariam pelas ruas mais estreitas dos bairros paulistanos. Um exemplo disso é como funcionará o esquema de ônibus durante a madrugada. Neste período, as linhas que seguem o trajeto do metrô (que não funciona entre 0h até às 4h da manhã) e as rotas para hospitais e dos locais que concentram os grandes eventos noturnos, restaurantes, bares e baladas. “Graças ao Plano Diretor a definição dos eixos de circulação permitiram reorganizar essa decisão no transporte público, cuja aplicação irá permitir a construção de outros corredores onde ainda não tem” – finalizou Tatto. [Adamo Bazani, editor MTb 31521SP, de SP – Foto: NOP-Bus]

por inbustransportonibus