“Bombardier” e “Solaris”: testam modernos ônibus na Alemanha.

bombardier-solaris_bus-electric

As renomadas empresas “Bombardier” e “Solaris” destacam a parceria e o inicio dos testes em quatro ônibus elétricos com tecnologia de recarga por indução, na cidade de Berlim, na Alemanha. O objetivo é, após ajustes determinados pelos testes, começar a oferecer os veículos comercialmente em maior escala. Os coletivos percorrem um trajeto de 6,1 quilômetros e as recargas são feitas por placas instaladas nos terminais localizados nos extremos da linha 204 que liga a estação de Südkreuz à Universidade Tecnológica de Berlim. O carregamento é feito num tempo que varia de quatro a sete minutos. As carrocerias são fabricadas pela Solaris Bus & Coach, marca polonesa, e as baterias, estações de recarga pela Bombardier. O sistema elétrico é marca Vossloh Kiepe. As baterias, instaladas no teto dos ônibus, são de lítio. Os ônibus modelo Solaris Urbino 12 Electric possuem 12 m de comprimento, pesam 18 toneladas e têm capacidade para 70 passageiros, dos quais, 33 sentados. A velocidade máxima com o equipamento elétrico é de 65 quilômetros por hora. Os coletivos são operados pela empresa de transportes públicos Berliner Verkehrsbetriebe – BVG e foram financiados pelo programa E-Bus-Berlim. Os investimentos foram de 4,1 milhões de euros pelo Ministério dos Transportes e Ministério de Infraestrutura Digital da Alemanha. A Universidade Tecnológica de Berlim faz o acompanhamento técnico. Com os ônibus, as autoridades querem poupar a atmosfera de 260 toneladas de gás carbônico por ano. [Jean R Dierckx, de Bruxelas, Bélgica – Correspondente para a REVISTA INBUS  TRANSPORT ONIBUS – BRASIL * Image: Bombardier/Solaris/Press/Europe]

Anúncios
por inbustransportonibus

Daily Minibus Elétrico da Iveco

Test-drive Iveco Bus - Planta Iveco Sete Lagos - MG - Brasil. Foto: MPerez

A Iveco iniciou no Brasil os primeiros testes do Daily Minibus Elétrico, veiculo equipado com baterias de sódio e níquel, que não emite nenhum tipo de poluente na operação, cujo modelo foi desenvolvido na Europa (onde já opera comercialmente). O Daily Elétrico (Modelo: 50C/E  Minibus) utiliza motor elétrico MES-DEA de corrente alternada, tipo assíncrono, trifásico, controlado pelo inversor de potência e refrigerado totalmente a água. Com 40kW (54 cv) de potência nominal e torque de 129 Nm a 2.950 rpm. Pico de potência a 80 kW (108 cv) e pico e torque de 300 Nm a 2.950 rpm. A velocidade máxima é de 70 km/h (carregado) e ainda de 85 km/h (sem carga). A unidade tem comprimento nominal de 7 m, entre-eixos veicular de 3950mm e PBT Peso Bruto Total de 5,6 toneladas. De acordo com o gestor da área de Inovação da Iveco para a América Latina, Fábio Nicora, os testes devem permitir adaptações do modelo europeu para as características operacionais do Brasil e de países vizinhos. A capacidade de passageiros é de 19 + o motorista. O modelo elétrico possui baterias (3x) do tipo FIAMM SONICK  Z5, garantindo uma autonomia de 100 km. O Daily Elétrico já roda em alguns países da Europa, porém, para o Brasil e toda a América Latina, precisamos entender as necessidades do segmento, como também a utilização do produto, de acordo com as diferenças climáticas e de aplicações dos clientes. A recarga da bateria é de 8 horas (quando completamente descarregadas). Os testes têm parceria com a FCA Fiat Chrysler Automobiles, CEMIG Companhia Energética de Minas Gerais e a Pontifícia Universidade Católica de MG (PUC Minas). Ainda de acordo com Nicora, a parceria pode ampliar o desenvolvimento de uma solução mais adequada para os segmentos de transporte que dependem de veículos de pequeno porte, como as vans. As vantagens tecnológicas podem ser ampliadas com diversas visões sobre o produto. Como em todo novo projeto, a interação com instituições e seus diversos especialistas cria um ambiente ideal de pesquisa para trabalhar toda as possibilidades da tecnologia, verificando as variáveis de durabilidade, custos, performance e até mesmo a aceitação do mercado” – destacou o executivo. Ainda segundo a Iveco, o modelo testado no Brasil tem baterias de sódio e níquel FIAMM SONICK Z5 – mais resistente do que a similares encontradas no mercado para uso e aplicação veicular. A empresa diz que as baterias não exigem manutenção e não têm efeito memória, isto é, “não viciam”, podendo ser recarregadas em qualquer estágio, mesmo com carga residual. “Cada uma das baterias é hermeticamente fechada em um invólucro metálico, que isola totalmente a parte ativa do ambiente externo, garantindo a mesma performance, seja com temperatura ambiente elevada ou muito baixa. Ao contrário das outras tecnologias disponíveis no mercado, os componentes da bateria FIAMM SONICK não liberam hidrogênio durante a carga. Além disso, são três vezes mais leves do que o modelo de chumbo-ácido comum, com capacidade similar de armazenamento de energia” – afirmou Fabio Nicora. O motor elétrico é o “MES-DEA de corrente alternada, tipo assíncrono, trifásico, controlado por um inversor de potência refrigerado a água. O veículo de transporte coletivo de pequeno porte também conta com sistema de frenagem regenerativa, pela qual, a energia cinética gerada pelos freios é transformada em energia elétrica, direcionada para as baterias. A direção assistida é desligada automaticamente quando o veículo está parado, o que poupa energia elétrica. Já as luzes não são alimentadas pelas baterias que fornecem energia para a tração. Os equipamentos luminosos e de sinalização noturna dependem de uma bateria paralela de 12 Volts. A autonomia varia entre 90 a 130 km (dependendo do número de baterias empregadas, tipo de operação e peso total). O chassi em escada é preparado para receber carrocerias e implementos de até sete toneladas. O modelo pode trafegar por inclinações de até 18% e é indicado para transportes escolares, transfers, fretamento de curta distância e operações urbanas de pequena demanda. O painel possui equipamentos que possibilitam o monitoramento em tempo real do sistema elétrico, com dados como estado da carga, tensão, temperatura da bateria. [Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, de SP – Foto: Iveco Bus/Press]

por inbustransportonibus

O Projeto CityMobil – solução de custo economicamente viável e de fácil implantação.

city_mobil_eu_illa

city-mobil-1 city-mobil-2

Com ações conjuntas entre universidades, governos e indústrias, alguns técnicos e engenheiros do segmento de transporte desenvolvem e preparam algumas inovações na área pública, cujos projetos deixaram os campos de testes e passaram para as experimentações em vias normais. Na Europa o Projeto CityMobil é um exemplo, com ideias como um sistema de trólebus mais eficiente que opera com guias laterais economizando espaço urbano e micro-ônibus que funcionam sem motorista. Os micro-ônibus fazem parte do CityMobil 2  para circular experimentalmente em pequenas cidades do Velho Continente (em fase inicial de testes nas ruas). A unidades e sistemas foram criados pelas empresas Ligier e Robosoft. Os pequenos ônibus com capacidade para 16 passageiros são elétricos e o comando é por centrais de monitoramento. Os veículos passam por campos de guias nas vias e sensores impedem colisões. Os testes vão durar quatro anos e são financiados por 45 parceiros, entre instituições de ensino e pesquisa, indústria e poder público. A solução é considerada economicamente mais vantajosa que os táxis autônomos pelo fato de os micro-ônibus levarem mais passageiros. Os sistemas são indicados para complementar redes de corredores de ônibus e metrô ou fazerem pequenos percursos em regiões centrais, dentro de parques, indústrias, aeroportos, entre outros. O sistema foi projetado para integrar as cidades de Castellón e Benicassim, via universidade, na Espanha, e, segundo o CityMobil “combina a regularidade do sistema ferroviário com a flexibilidade e o baixo custo do sistema de ônibus”. Uma das vantagens, segundo o projeto, é o menor uso do espaço urbano. Um ônibus com 2,5 metros ou 2,6 metros de largura precisa de uma faixa entre 3,75 metros e 4 metros. Com as guias laterais, as variações de movimentos são menores, havendo mais segurança para uma faixa mais estreita. [Jean R Dierckx, de Bruxelas, Bélgica – Correspondente para a REVISTA INBUS TRANSPORT ONIBUS * BRASIL * Images: Press/Spain Center]

por inbustransportonibus

O ATENDE – Serviço de Atendimento Especial recebeu o Prêmio Marca Brasil na categoria “Melhor Marca de Entidade do Setor de Reabilitação de Pessoas Com Deficiência”

atende_2015_sp

O ATENDE – Serviço de Atendimento Especial da SP Transporte operado pelas empresas de ônibus e ex-cooperativas na cidade, criado em 1996 recebeu o Prêmio Marca Brasil na categoria “Melhor Marca de Entidade do Setor de Reabilitação de Pessoas Com Deficiência”. A premiação é concedida por votos de leitores da Revista Reação, especializada em inclusão e acessibilidade de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Este é o quarto ano consecutivo que o serviço recebe a premiação. Mesmo ainda não considerado suficiente para a demanda de pessoas com deficiência severa na cidade e que necessitam de transporte especial, o Atende tem uma estrutura grande. Segundo a SPTrans, hoje são 388 vans especiais e 45 táxis adaptados. A operação é diária e a família ou pessoa com deficiência deve procurar a SPTrans para ter o atendimento. O serviço é destinado a quem tem alto grau de limitação de movimentos e que não consegue usar os ônibus da cidade, mesmo com elevadores ou piso baixo. Ainda de acordo com a gerenciadora, em agosto foram transportadas pelo serviço em todas as regiões da cidade 4.782 pessoas com deficiência e 3.558 acompanhantes. Somente os táxis atenderam em agosto 2.097 pessoas com deficiência e 1.070 acompanhantes. Os transportes não são realizados apenas para tratamentos médicos. O passageiro pode solicitar os serviços para o trabalho, estudo ou mesmo lazer. O Atende também realiza transportes em eventos como shows e jogos em fins de semana. Para isso, a instituição que realiza atendimento a pessoas com deficiência deve fazer agendamento na SPTrans. Nesses eventos foram atendidas 3.362 pessoas com deficiência e 1.828 acompanhantes ao longo do mês de agosto último. [Adamo Bazzani, editor MTb 31521SP, de SP – Foto: AutomotivePress/NOP-Bus]

por inbustransportonibus

Cia. São Geraldo: encerra capítulo triunfante no segmento do TRP

gontijo_frota_renov

foto-24saogeraldofoto-25saogeraldo foto-26saogeraldo

A Companhia São Geraldo de Viação e Transporte encerra triunfantemente sua participação no segmento do TRP Transporte Rodoviário de Passageiros. Fundada no anos 60 por um grupo de empresários mineiros como Benito Porcaro, Dário Grossi, Augusto Braga, “Zé Alemão”, Chiquito Lopes e Pedro Cabral. A empresa teve assim um importante papel no setor. A Família Porcaro tornou-se um dos maiores acionistas da São Geraldo. Nos anos de 1980, após a cisão, a São Geraldo teve a sede transferida para Belo Horizonte. De propriedade da Gontijo desde dezembro de 2003, a Cia. São Geraldo conta atualmente com cerca de 800 coletivos e opera aproximadamente em cem linhas rodoviárias. A Gontijo – fundada em 1949 por Abílio Gontijo que começou no setor de transportes em 1943 anuncia então o fim da empresa que foi concorrente por vários anos na ligação entre o sudeste e o nordeste brasileiro. Juntas, as duas empresas atendem a 20 estados brasileiros, transportando 7 milhões de passageiros por ano em 347 linhas. O setor rodoviário nacional hoje enfrenta grande concorrência com o aéreo, principalmente em linhas de maior distância, como são as da São Geraldo e Gontijo, cuja decisão do grupo controlador é de otimizar os custos operacionais e comerciais. [Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, de SP * Fotos: AutomotivePress/Divulgação]

por inbustransportonibus

Linhas noturnas em SP ganham mais adeptos.

onb_noturno_sp_12

Desde a criação em fevereiro último das Linhas Noturnas em SP, cerca de 4,96 milhões de passageiros utilizaram a Rede Noturna, que serve de modelo para a criação de outras redes de linhas de ônibus previstas na licitação dos transportes da capital paulista, como a rede de domingo, básica e de reforço. Depois de seis meses de implantação, as 151 linhas de ônibus especiais da cidade de SP que operam da meia noite às quatro da manhã atraíram pessoas que não costumavam usar os transportes coletivos por falta de oferta nesta faixa de horário. A pesquisa foi revelada pela SPTrans- SP Transporte, gerenciadora do sistema municipal da capital paulista, e divulgada recentemente à imprensa. Deste total, segundo a pesquisa inédita da SPTrans, 44,7% dos usuários das 12 linhas que começaram a funcionar antes da implantação oficial da rede, como projeto piloto, declararam que não usavam transportes públicos na madrugada porque não havia opções. A gerenciadora tomou como base, para a pesquisa, 50 linhas da Rede, incluindo as 12 do projeto piloto, e entrevistou 1 mil 440 passageiros. O perfil destes passageiros revela que a maior parte é trabalhador do setor de serviços: 75,3% dos entrevistados. Outros 17% usam para deslocamentos de lazer e 3% para estudo. A Rede da Madrugada hoje conta com 475 ônibus em operação e 71 reservas. São 51 linhas troncais com intervalos de 15 minutos, a partir da região central, sobrepostas ao Metrô, que não opera na madrugada, e 100 linhas locais, entre os bairros, com 30 minutos de intervalo. A pesquisa ainda revela que a procura pelas linhas noturnas ainda está em expansão:  em março foram transportados 712.765 passageiros, enquanto em agosto foram 877.672 mil, um crescimento de 23%. [Helio L Oliveira, editor MTb 69429SP, de SP * Foto: Divulgação]

por inbustransportonibus

Aplicativo Moovit – sucesso mundial, também no Brasil…

DSCN6171

O aplicativo Moovit – especializado para atender o transporte publico informou que alcançou a marca de 28 milhões de usuários em aproximadamente 700 cidades de 58 países. Uma cidade é acrescentada a cada 24 horas ao serviço de dispositivos móveis. Segundo a assessoria de imprensa do aplicativo, que teve origem em Israel no ano de 2012, a ferramenta se tornou a maior do mundo entre os serviços que oferecem dados sobre linhas de ônibus, metrô e trem em tempo real. Atualmente, o tempo parece estar mais escasso e ser insuficiente para realizar todas as atividades projetadas para o dia a dia, independentemente da função, posição econômica e social dos cidadãos e até mesmo da idade.  Apesar disso, por causa do trânsito e das redes de transportes insuficientes, a perda de tempo nas cidades de médio e grande porte é cada vez maior. Assim, os aplicativos de celulares e outros dispositivos móveis voltados à informação em tempo real sobre os transportes públicos e trânsito têm ganhado cada vez mais espaço, inclusive pelo fato também de as tecnologias estarem acessíveis a um maior número de pessoas. O aplicativo reúne informações colaborativas dos passageiros, das gerenciadoras e operadoras de transportes e inclui os serviços de trânsito oferecidos pelo Google e Apple. Recentemente, a empresa Moovit recebeu US$ 81 milhões como aportes de empresas de tecnologia e ligadas a transportes. O aplicativo também divulgou alguns números alcançados neste ano de 2015: foram mais de 3 milhões de dados adicionados durante 2015; cobertura global (incluindo, aproximadamente, 300 regiões metropolitanas e 80 cidades, que não estão disponíveis em outros apps de mobilidade urbana); 20.000 usuários ativos fazem parte da comunidade de editores do Moovit em mais de 100 países para fornecer informações de trânsito. O Moovit já impactou mais de 30 milhões de pessoas através de seus projetos com a comunidade de usuários que utilizam sua plataforma de edição. No Brasil, mercado número um da empresa, 56 cidades possuem cobertura do app. Além disso, o país possui mais de 6 milhões de usuários dos 28 milhões totais. O desafio é tornar os deslocamentos por transporte público até mais fáceis que de carro. [Adamo Bazzani, editor MTb 61521SP – Foto: AutomotivePress]

por inbustransportonibus